“Work, work.”

A fala do peão orc está registrada no inconsciente de vários que já detonaram as mãos — e o cérebro — durante uma jogatina de Warcraft 3. Ela está cravada na memória tal como o som das correntes caindo ao abrir a tela do jogo.

Fato é que um clássico desses não é esquecido tão facilmente e, nesse ponto, Warcraft 3: Reforged foi anunciado na BlizzCon 2018 para reviver essa experiência. Seja pela campanha, pelas partidas normais ou pelos mods diversos espalhados por lá, os fãs poderão experimentar tudo em gráficos atualizados.

Mas as informações sobre a remasterização diminuíram desde que o anúncio foi feito e, levando em conta que tivemos bons meses de espera e algumas atualizações impactantes para o jogo original — uma que entrou ainda nessa terça-feira (28)! —, resolvemos separar uma coletânea com literalmente tudo o que sabemos até agora sobre Warcraft 3: Reforged.

Então escolha o mapa, prepare o mouse e nos acompanhe dentro desse dossiê completo.

Um remaster autêntico nos mínimos detalhes

No início de maio eu tive a oportunidade de testar a demo de Warcraft 3: Reforged em um evento exclusivo de 25 anos da série Warcraft realizado em Irvine, nos Estados Unidos. Apesar de ser a mesma demonstração da BlizzCon 2018, foi possível experimentar de perto a experiência da remasterização e observar alguns detalhes que podem ter escapado do olho do público nos últimos meses.

Você pode acompanhar o vídeo que eu gravei na ocasião logo abaixo, acompanhado de comentários e detalhes que eu percebi ao longo de mais de três testes dessa demonstração.

Mas o que os fãs de longa data precisam saber é que a experiência original está intacta. Durante cerca de duas horas, consegui perceber como os comandos nativos e as características do gameplay ainda estavam lá — até mesmo os detalhes mais profundos da engine. Eu naturalmente salvo grupos de unidades e construções nos numerais do teclado para fácil acesso, e nem preciso dizer que nada mudou nesse processo. As teclas de atalho ainda estão lá, e eu não tive problema nenhum em sentar e fazer exatamente o que eu já sabia que os humanos podiam fazer.

Mesmo sendo uma demo “travada” no sentido de não poder nem abrir o menu de opções, pude observar que até mesmo as opções mais “escondidas” do gameplay ainda estão lá. Digitei “/fps” em uma das ocasiões, que é um dos comandos implementados no jogo nas atualizações dos últimos meses. E lá ela estava: um pequeno contador apareceu perto da aba superior mostrando quandos quadros eram processados por segundo. Exatamente como é hoje no game original. E o mesmo aconteceu também com “/apm” e “/ping”.

Isso comprova algo que não está claro para muitas pessoas: o Reforged não será um jogo novo no seu computador. Ele funciona parecido um “upgrade” que você poderá ativar durante a jogatina — uma forma similar com o que é executado hoje em dia com StarCraft: Remastered. No irmão mais velho, a remasterização nada mais é que uma opção que você ativa dentro do jogo original para trazer em tempo real os modelos em alta qualidade.

Mas não se preocupem, ainda há muito mais em jogo por aqui.

Nesse aspecto visual, a demonstração de Warcraft 3: Reforged reagiu muito bem à transição entre o jogo original e a nova versão. A interface está limpa e dá espaço ao resto do jogo embora algumas informações estejam um pouco “menores” que antes. Os atributos do herói, por exemplo, ficaram com a fonte pequena e o inventário ficou “deitado na horizontal” com ícones menores. Talvez a dificuldade de encontrar rapidamente seja temporária com olhos tão acostumados com a versão antiga, sem falar que tudo isso pode ser remodelado até a versão final.

As animações estão fluídas e detalhadas. Neste sentido, eu nunca pensei o quanto sofre um soldado dos humanos até observar a sua animação de morte no Reforged. Eles mergulham de costas no chão, deitando o escudo e finalmente abraçando a morte. E nem preciso falar o quando as magias estão bonitas, principalmente o efeito da habilidade suprema do Paladino, que revive todos ao seu redor.

Há diferenças, no entanto, que chamaram a atenção. A missão que a demo se passa, o sexto capítulo da campanha dos humanos em Reign of Chaos, traz um cenário diferente que o apresentado no jogo original. Embora o objetivo seja o mesmo — Arthas precisa matar o seu próprio povo antes que Mal’Ganis converta ele em mortos-vivos — a posição da base dos humanos no mapa e a própria cidade de Stratholme estão diferentes. Há um motivo para isso, algo que tratarei melhor no próximo tópico.

Os detalhes que sabemos até agora

A Blizzard revelou, durante os paineis da BlizzCon 2018, alguns detalhes interessantes que já mostram como funcionará Warcraft 3: Reforged. A maior parte dessas informações passaram despercebidas por serem bem específicas ao público que já joga há muito tempo; mas, aqui, vale a pena explicar como elas terão impacto dentro do jogo.

Antes de mostrar o que é prometido, convém reforçar que a equipe de desenvolvimento já efetuou várias melhorias dentro do jogo para “preparar o terreno” para a chegada da remasterização. Isso inclui até mesmo uma atualização lançada nessa terça-feira (28), a última prevista até a chegada do Reforged. As melhorias nos últimos meses incluem:

  • Mais suporte para monitores atuais, inclusive com opções nativas em janela e sem bordas;
  • Junção de Reign of Chaos e The Frozen Throne em um só executável;
  • Modo online com partidas criadas na nuvem, eliminando as antigas Custom Games criadas por usuários e hostbots;
  • Mapas competitivos remodelados e mais equilibrados;
  • Balanceamento do jogo;
  • Inserção da linguagem LUA para o editor de mapas (a mesma usada no World of Warcraft);
  • Tamanho de mapas customizados aumentou, permitindo mods maiores e mais ousados;
  • Tamanho das salas também aumentou para o máximo de 24 jogadores.

O primeiro detalhe do painel, que já foi apresentado logo acima, é que o jogo usará a mesma engine e fará com que os gráficos e efeitos sonoros remasterizados rodem “acima” do jogo original. Isso permitirá o “cross-play” entre as versões: ou seja, os jogadores da edição antiga poderão jogar simultaneamente contra aqueles que estão no Reforged. Até as hitboxes serão as mesmas, mas com pequenos ajustes.

A campanha sofrerá alterações baseadas no que já foi apresentado em World of Warcraft. Como comentei anteriormente, a missão em que Arthas executa seu povo traz diferenças entre o Reforged e a versão original, e essas modificações vieram para retratar a cidade com mais fidelidade ao que já foi mostrado no MMORPG.

A parte online também abraça as mudanças. De início, as buscas automáticas serão as mais afetadas, já que um novo sistema de matchmaking será implementado juntamente de um novo “nivelamento”. Atualmente, os jogadores vencem partidas e ganham pontos de experiência e níveis; mas a intenção da Blizzard é aproximar o ranqueamento no que já existe em outros jogos, com ligas e divisões.

No editor de mapas, os jogadores poderão criar os seus próprios modelos, incluindo assets em 4K. Mais do que isso: poderão customizar a interface do jogo, algo só possível em instâncias mais avançadas do editor.

E sim, os mods serão totalmente preservados e compatíveis entre as duas versões. Isso significa que todos os mapas já criados poderão ser jogados no Reforged, incluindo DotA 1 e todos os seus Tower Defense favoritos.

Uma das coisas mais importantes aqui é que, durante o painel, os desenvolvedores comentaram que novos conteúdos só serão pensados ou feitos depois que o Reforged for lançado. A comunidade pede até hoje que a Blizzard implemente novos heróis ou raças e o exemplo mais clássico disso é referente às nagas, que já estão presentes nos arquivos do jogo. Mas, pelo visto, os fãs deverão esperar mais um pouco até saber se isso é só um sonho ou pode ser implementado com o tempo.

Resumão e dúvidas mais comuns

Mil e uma dúvidas apareceram entre os fãs desde o anúncio. Consegui acompanhar a maior parte delas em postagens pela comunidade, transmissões ao vivo com os fãs e discussões frequentes pelos mais diversos grupos da internet. Por isso, a forma mais clara de apresentar mais detalhes do jogo é respondendo as dúvidas mais comuns. 

Quando sai? 2019, sem ainda um período ou data específica.

O que teremos de novo? Campanha remodelada, novas cinemáticas, gráficos e trilha sonora recriados além de uma jogabilidade mais acessível.

Reforged estará em português? Sim, a página oficial do jogo já confirmou que Warcraft 3: Reforged estará localizado em nosso idioma.

Será um jogo novo? Não, o Reforged usará a mesma engine e funcionará como um “upgrade” gráfico e sonoro da versão tradicional — assim como foi com StarCraft: Remastered.

Haverá cross-play entre o original e o Reforged? Sim, jogadores de ambas as versões poderão jogar entre si.

Teremos um servidor na América do Sul? A Blizzard não deu detalhes ainda. Já entrei em contato com a equipe de desenvolvimento sobre o assunto e eles me retornaram que, embora não pudessem confirmar nada, eles irão “lutar por servidores globais” para que os jogadores tenham a melhor conexão possível.

O que o jogo original já recebeu para a remasterização? Atualizações de balanceamento, ajustes de compatibilidade para novas máquinas, suporte para 4K, interface mais detalhada e melhorias para o editor de mapas.

Teremos uma raça nova ou heróis novos? São pedidos frequentes da comunidade, principalmentea a respeito das nagas, mas nada disso foi confirmado até o momento. A equipe só confirmou que novos conteúdos podem vir depois do lançamento.

Como funcionarão os mods para o Reforged? Todos os mods do jogo original serão compatíveis no Reforged e terão as melhorias gráficas —exceto modelos importados, como Narutos e Gokus da vida.

O DotA 1 vai voltar? Em tese, ele nunca foi embora. A comunidade continua jogando o mod no Warcraft 3 e inclusive adapta algumas mudanças do DotA 2 para a versão original. Esses mapas, como explicado acima, estarão compatíveis e com os gráficos melhorados do Reforged.

O que eu ganho com a pré-compra? Os jogadores que comprarem antecipadamente já ganham acesso ao jogo original e a sua respectiva expansão, no caso Warcraft 3: Reign of Chaos e Warcraft 3: The Frozen Throne. Você encontra mais informações sobre como resgatar aqui.

Terá fase Beta? Era prevista uma fase de testes e ela foi anunciada no painel da BlizzCon 2018 para o início de 2019, mas nenhuma informação foi revelada desde então.

Tenho o jogo original, vou ganhar o Reforged? Não.

Não encontro mais o Warcraft 3 original para comprar, o que aconteceu? Atualmente, o jogo só está disponível em cópia digital como pré-compra do Reforged. 

O Warcraft 3 antigo pode ficar de graça que nem o StarCraft? Talvez, mas nada disso foi confirmado oficialmente. Se levarmos em conta novamente o StarCraft, a versão antiga está disponível gratuitamente no aplicativo da Battle.net e a remasterização funciona como um “upgrade pago” para os fãs. O mesmo pode acontecer futuramente para o Warcraft 3.

Quer saber mais?

Aproveitando a viagem até a sede da Blizzard para os testes, o Voxel publicou recentemente mais três reportagens especiais sobre Warcraft 3 e a comemoração de 25 anos da serie Warcraft. Confira nos links logo abaixo.

*O jornalista viajou até a Warcraft Summit em Irvine, nos Estados Unidos, a convite da Blizzard.