De Volta Para o Futuro 2: Roteirista reage à censura da Netflix ao filme

A Netflix causou polêmica nos Estados Unidos ao censurar uma cena de De Volta Para o Futuro 2. Os fãs ficaram sem entender o motivo do corte.

Os espectadores também apontaram que a plataforma de streaming tem várias produções com cenas de conteúdo “mais pesado” e que a censura não aconteceu. A Netflix não se pronunciou.

Porém, o roteirista Bob Gale revelou o que aconteceu. A Netflix não censurou o filme.


O que acontece é que a versão errada de De Volta Para o Futuro 2 foi entregue para o serviço. Assim, a plataforma apenas exibiu o que recebeu da Universal.

“A culpa é da Universal que por alguma razão forneceu para Netflix uma versão editada do filme. Eu fiquei sabendo por um fã atento e pedi para o estúdio arrumar o erro. A versão que está em exibição agora é sem censura, sem edição e original”, explicou o escritor para o The Hollywood Reporter.

Entenda a polêmica em De Volta Para o Futuro 2

A polêmica começou quando um fã notou a edição em De Volta Para o Futuro 2. Ao levar para as redes sociais, outros espectadores começaram a criticar a Netflix.

A cena em questão é uma em que Marty McFly está em 1955. O protagonista acha que colocou as mãos na revista Sports Almanac.

Porém, quando abre, é surpreendido com páginas de uma revista francesa para adultos chamada Oh LàLà?. Na Netflix, o momento que essas páginas são mostradas estava cortado.

Confira a cena abaixo, com uma postagem que reclamava da situação.

A trilogia de De Volta Para o Futuro é estrelada por Michael J. Fox e Christopher Lloyd. A última parte foi lançada ainda em 1990.

No Brasil, os filmes podem ser vistos em plataformas digitais.

via Observatório do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.